Como foi…

…a Mostra AYUNY de Dança do Ventre e Folclore Árabe 2010?

Tudo indicava que seria sofrível. Baixa venda de ingressos antes do evento, divulgação fraquíssima (no último ano do doutorado, perdi um pouco o foco e sequer publiquei o cartaz aqui, em meu próprio blog), poucas turmas da escola participando, professora que se machucou… No dia do evento foi o vamo-que-vamo de sempre: estamos na chuva pra molhar mesmo, então não vamos deixar a peteca cair. Mas a tensão ainda estava no ar: os camarins, colados ao palco, não podiam ser utilizados durante o evento, pois poderia atrapalhar a iluminação. Sendo um teatro menor (250 lugares), não tinha walkie-talkie. Gelei. Mas tudo correu bem, mais do que bem.

Lotou. As pessoas vieram! Fiquei tão feliz… Todas entenderam o lance dos camarins e acabaram se ajudando,  curtindo. Sem o walkie-talkie, todo mundo entendeu que a entrada tinha que ser feita na horinha no blackout, sem atrasos, e que tinha que sair do palco voado. E funcionou. Tudo na paz, cada profe cuidando de suas pupilas, as professoras em alunas em palco se ajudando e as convidadas super queridas e sem frescuras!

Acabou sendo um dos melhores shows do Ayuny. Sem estresse, com muita alegria e simplicidade. Quero que seja sempre assim, em clima de colaboração e a simplicidade de se festejar a dança.

Recebemos a Paula Braz, de São Paulo, para uma apresentação na Mostra e um work de tribal no domingo. Que pessoa doce, simpática, competente e querida! Fez uma apresentação poderosa e o work dela foi muito bom! A parte teórica foi bacana demais, ela explicou tin-tin por tin-tin o desenvolvimento do estilo e as nunces interpretativas. Estamos pensando em um projeto mais amplo. Torço para que role!

Outra convidada super especial foi a Nara Faria, artista daqui, do DF, que quebra tudo em sua dança sem rótulos. Não é tribal, não é dança do ventre, não é contemporânea. É uma dança híbida, bonita e poderosa.

Enfim, como disse a Iris, superou muito as expectativas para uma mostra.

Dancei “Basbousa”, uma música popular de que sempre gostei. Improvisada, livre e solta. Só não gostei do meu vestido. Definitivamente, não foi feito pra mim, me deixa atarracada. Aposentei o coitado na hora. Minhas alunas dançaram direitinho, apesar de eu ter sentido falta de energia e sorrisos da parte delas. A Liz deu um show com suas alunas com lindos vestidos dourados, cada uma enrolada em seu meleah. Gamila iluminou geral com sua galabia amarela. Foi tudo bonito mesmo. E simples, tranqüilo, redondinho. Talvez a energia do lugar, mas prefiro acreditar que tenha sido crédito da energia da gente mesmo, professoras, alunas e convidadas.

A Amanda, professora da escola e pessoa super-mega-ultra querida, também escreveu as impressões dela em seu blog: http://passoecontrapasso.blogspot.com/2010/05/mostra-de-danca-do-ayuny.html

Anúncios

5 comentários sobre “Como foi…

  1. Roberta
    Vi que tem a música El Fen, você pode envia-la para mim? Não consegui pegar no multiply.
    Ficarei imensamente agradecida.
    Estou procurando muito, e gostaria de dançá-la numa ocasião especial (meu aniversário).
    Aguardo,

    Abraço

    Luciana
    luoflores@yahoo.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s