Orgulho plus!

Nenhuma pessoa equilibrada começa a fazer aulas de dança do ventre pensando em ser professora. Lembro-me das primeiras apresentações públicas e da insistência de Zamzam, minha professora, para que eu aceitasse o cachê. À época eu não percebia que ela estava, na verdade, me ensinando a ser ética, mas isso é outra história. Naquele tempo, me interessava apenas dançar e eu jamais imaginava que, alguns anos depois, eu iria me profissionalizar na prática da dança do ventre. Por incentivo da própria Zamzam, comecei a dar aulas. E fui gostando. E descobri que, enquanto houver forças, continuarei a ser uma professora de dança do ventre. Porque pode ser chato às vezes; pode ser maçante; pode ser exaustivo; pode ser uma pressão dos infernos às vésperas do espetáculo. Mas a compensação… nossa, é de arrepiar os brios de qualquer uma que leve a sério essa função. Ver uma aluna sua se destacar é uma injeção de auto-estima para a professora.

Pri, Carol e Lu
Pri, Carol e Lu

Hoje a aula extra da Contours – a academia onde malho (é, eu retornei. Assunto pra outro post) – foi dança do ventre. E a Pri, minha aluna linda do Ayuny e aluna da Contours, foi convidada para se apresentar e dar uma mini-aula. Perguntou pra mim o que eu achava e tal e coisa e eu disse o “vai fundo” mais feliz da minha vida. Ela é uma aluna de nível intermediário, já fez dança cigana, já passou por várias professoras e tem uma maturidade de dança muito bacana. Ajudei a pensar no conteúdo da mini-aula e fui lá hoje conferir. Ela dançou muito lindamente, apesar da timidez. Mas o mais bacana foi a aula: tranqüila, didática, doce, educada, suave, paciente e, o mais importante, segura. Ou seja, ela demonstrou vários requisitos para a prática docente da dança do ventre. Eu me derreti! No final, dançou mais uma, de improviso. Desta vez mais tranqüila, mostrou que estuda a sério e que será uma excelente bailarina.

Aí cumulei a menina de elogios até não poder mais. E ela: “ai, Roberta, que exagero!” Ela tava sabendo que não desperdiço elogios e que sou sincera até quase o ponto da grosseria, então ficou toda feliz. E só o que disse a ela no final foi: “gata, quando você tiver suas alunas, vai saber o que senti hoje”.

Orgulho é palavra pequena para quando vemos alguém que confia na gente aplicando o que ensinamos.

Anúncios

10 comentários sobre “Orgulho plus!

  1. Roberta querida, Muito fofo seu post… eu tb já fui professora e entendo bem sobre o orgulho por tabela, ou por osmose quando uma “cria” sua se destaca…rs… e concordo em gênero, etc, etc… com você, a Pri é linda dançando, tem aquele jeito meio cigano de ser e de dançar, num charrrme inigualável!!! Infelizmente não pude ir prestigiar, mas com certeza haverão outras oportunidades!
    Enquanto eu não terminar a bendita dissertação de mestrado e mais uma monografia de um MBA que acabei de fechar (ao menos as aulas), agora falta só eu ter a idéia sobre o que vou escrever e começar a escrever… hehehe… ontem fiquei o dia todo trabalhando no meu projeto de mestrado… até as 2 da manhã de hoje…. canseira, viu??? Mas não posso deixar a peteca cair!!! Já falta apenas um capítulo e meio..rs.. e claro estruturar a coisa…. acho que preciso comprar guaraná pra manter o pique… Minha mãe está precisando mt de mim neste momento… não sei se te falei mas minha mami foi diagnosticada com linfoma, hoje ela está bem malzinha… o dia em que a imunidade cai ao extremo… aff aff… algumas coisas não dá pra entender no porque de acontecerem… Mas vá lá… não podemos é desistir, né?? Bom, era só um comentariozinho e acabou virando desabafo…rs… Beijos querida!

  2. é, Rô, vc sabe o que diz! Cada passo de um aluno é para nós uma conquista indescritível. E o contrário também é verdadeiro: cada conquista de nossas mestras são estímulos para nós alunas. Um elogio de outrem à dança de nossa professora, à metodologia e dedicação de nossa diretora, ao entusiasmo de outra professora da escola serão sempre uma boa referência. Sinto orgulho de você, das outras profs, das minhas alunas [como sou feliz por estar com elas, obrigada, viu?], do Ayuny a cada dia!
    Quanto à Pri, vejo essa figura logo, logo com a turminha dela! Ela realmente merece os elogios.

  3. pois eh… estou passando por isso! e a nossa responsabilidade cresce neh? porque de repente vc está dando aula pra uma professora! ahahah
    eu reli umas anotações de coisas que queria muito na minha vida e tinha lá “uma aluna que desponte” eheheh pintei de verdinho porque já alcancei!
    Lizandra !!!
    Obrigada por me permitir realizar mais um sonho com a dança!
    abração a todas parabens Rô , Pri (ex-aluna é que nem ex-mulher neh? aaaahahahah – eh pra sempre!) e Liz!

    p.s.: desculpem o post tão pessoal

  4. ah sim!
    pois eh, eu realmente sou desiquilibrada! antes de fazer uma unica aula de dança do ventre jah queria ser professora! ahahahah
    bjoks

  5. Oi Rô, te acompanho desde seu antigo blog, o puxadinho no multiply e tudo mais…Andei sumida nos posts mas sempre presente na leitura, achava que vc nao ia se lembrar de mim, pois é, vc até me madou um fone seu, pra eu entrar em contato qdo fosse a Bsb…Ta guardado, não usei por medo de parecer entrona! Ah, relembrando, esse post aqui é para dizer como foi lindo vc escrever tudo isso sobre o ato de ser professora, uma boa professora…Sinto-me assim, somos praticamente maes e mais que uma amiga…Maravilhoso. Ah, escrevi uma frase sua desse artigo no meu orkut, mas dediquei-lhe os devidos créditos…Bjos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s