Por aí…

Um pouco da luta de Gisèle Santoro. No balé as coisas também não são muito fáceis.

*

Resumo da dissertação de mestrado da Márcia Mignac. Mais gente levando a dança do ventre à academia, ó que beleza!

*

Kety Sharif fala sobre dislexia e dança do ventre. Boas dicas!

*

Tutorial perfeito de maquiagem no blog da Lu Mello e várias dicas perfeitas no Amar el Binnaz!

*

Gravidez e dança do ventre nas Filipinas.

*

Depoimentos de bailarinas da São Paulo Companhia de Dança. Sala dos sonhos!

8 comentários sobre “Por aí…

  1. A Márcia vai publicar um livro com base nessa sua tese de mestrado. Tb acho fantástica essa iniciativa. Tive oportunidade de ler trechos das entrevistas que ela fez com as adolescentes vítimas de abuso sexual que fizeram aulas de dança do ventre com ela. Muito tocante, bonito. Uma experiência para ser realmente divulgada!

  2. Adoro quando vc coloca sugestões de links…

    Olha, sobre a Marcinha, eu preciso dizer uma coisa… Fui bailarina do Arabeskue, um grupo de dança profissional no qual ela era a coreógrafa, e fiquei nesse grupo nos primeiros meses que cheguei em Salvador. Ela confiou totalmente em mim, no meu trabalho, na minha capacidade de corresponder com a minha dança, num grupo de onde saíram bailarinos como Marcos Ghazalla, Rose Sampaio e Janah Ferreira.É, não era pouca responsabilidade não. Tempos depois pude acompanhar de pertinho o trabalho que ela fazia com as adolescentes que descreve em sua dissertação, e o mínimo que eu posso dizer é que ver estas meninas dançar me levava ás lágrimas. O trabalho que ela desenvolveu é digno de reconhecimento nacional, sem exageros.

    Ah, mas eu queria dar um pitaquinho sobre o link das grávidas, Ro.

    Olha, não sou a favor de mulheres grávidas iniciarem o aprendizado de DV na gravidez. Sim, acho lindo mulher grávida dançando, e concordo com tooodos os benefícios que a professora cita, sobre se sentir mais sexy, sobre evitar o sedentarismo, sobre preparar p/o parto. Mas, existem ressalvas. Olha só, a melhor preparação p/ o parto deve ser feita antes de se ficar grávida, quando a mulher planeja ter um filho. Tonificar e fortalecer o assoalho pélvico, que é a parte mais exigida nessa fase, leva um tempo e não se deve fazer isso com o peso de um bebê na barriga.

    A outra questão que me faz olhar desconfiada é a questão do bebê. (Já que a matéria abordou a prática da dança apenas enfocando o bem estar da mãe.) E falarei do ponto de vista psicomotor.

    Uma criança se desenvolvendo no útero necessita, sobretudo, de 3 coisas: paz, de sentir o desejo de mãe em querer te-la e de paz.., rs. O feto é extremamente sensível ao ambiente onde está, à movimentação da mãe, e tem uma percepção maior do que se costuma pensar sobre as tensões de fundo emocional de sua mãe. Obviamente, ele não tem a clareza do que sejam essas tensões, ou movimentações, pois o desenvolvimento de sua cognição (que começa, acredite, a partir do 4o mês de gestação) ainda está na fase primária, e, conscientemente, ele só é capaz de sentir sobre o próprio corpinho o tônus maternal.

    Imagine você, num lugar quentinho, macio, que te dá comidinha sempre que vc sente fome e ainda vc ouve um barulhinho gostoso e grave de coração. O mundo é belo. De repente esse mundo começa a ser sacudido, contraído, relaxado, contraído de novo, depois treme,ondula… Onde estava a paz de antes?

    O que a maioria das pessoas ainda não sabe é que esses movimentos da dança podem, EU DISSE PODEM, acarretar consequencias nesses bebês. Um feto é um ser frágil, sua organização neuro-motora é um brotinho, está em pleno desenvolvimento, e por isso, é um sistema totalmente vulnerável à estímulos dessa natureza.

    Bom, só prá constar, eu digo isso com base nos referenciais téoricos que li durante minha pós em Psicomotricidade, sobretudo na teoria de uma psicanalista francesa, Françoise Dolto, que dedicou toda sua carreira ao estudo da psiquismo do bebê e da criança.Se alguém sentir interesse em ler sobre isso tenho 5 livros de cara prá indicar.

    O que eu já percebi em algumas amigas bailarinas que continuaram dançando enquanto estavam grávidas, é que a maioria delas se queixa de filhos agitados. Ok, não vou dizer que é por causa da dança porque podem existir outros fatores que determinam a agitação infantil. Mas também não se pode deixar de levar em conta esse aspecto.

    Outro exemplo sobre a sensibilidade do feto em relação ao tônus da mãe. Mas esse não tem a ver com DV. Existe uma corrente da psicanálise que diz que uma das causas do autismo pode se originar a partir de uma contração brusca do útero da mãe. Segundo esse corrente, a contração uterina é o principal movimento a ser feito para a expulsão do bebê, mas quando ele está pronto p/ nascer bem entendido, não aos 5 meses de gestação. De alguma forma, essa contração é percebida inconscientemente pelo feto como uma rejeição de seu ser (super grosso modo falando hein, não sou psicanalista!) e essa PODE SER uma situação CAPAZ de desenvolver uma criança autista.

    Enfim, com tantos alertas, cabe a pergunta: será que DV é realmente um exercício indicado p/ grávidas?

    Beijinhos, fique na paz.

    Vivi

  3. uma pergunta, Yallah, já que você é tão ácida em seus comentários: por que a maioria das “bailarinas” de dança do ventre é identificada como scort girl? por que em alguns classificados de jornal bellydance já aparece como especialidade de acompanhantes?

    1. “por que em alguns classificados de jornal bellydance já aparece como especialidade de acompanhantes?” Resposta: por conta de homens como você, que não sabem fazer um O nem sentando pelado na areia. Que tal buscar outro blog pra trollar? Ou ir lamber sabão?

    2. Por conta da delicadeza da amiga Lid, vou ser delicada.
      1) Em que parte da sua sexualidade a agudeza dos comentários da Roberta incomoda?
      2) Você parece entender muito mais de scort girls que de bellydancers então como pode julgar os comentários de “ácidos”. Mandado para cá por alguma amiga ofendida que fica no limiar entre os dois trabalhos?
      3) A sua pergunta é de uma estupidez que nem merece. Fantasia de freira também está entre as especialidades, portanto, o que pensar de toda a Igreja Católica, não?
      4) Você é dono de um blog sexista, sensacionalista, feio e mal escrito. Vai cuidar dele, vai!

      Sem mais!

    3. E se for um pouco mais humilde que acho que não é, leia um pouco mais o blog da Roberta e outros mais sérios antes de falara besteiras assim. Como você pode dizer uma besteira dessas depois de ler e ver (se é que você fez isso) reportagens sobre dança do ventre na gravidez e resumo de uma tese de uma pessoa que ministra aulas de dança do ventre em comunidades carentes. Se enxerga e estuda um pouco mais para se houver como argumetnar, que argumente.

  4. Respondendo a minhas novas fãs, que descobriram algo mais útil e prazeroso do que fazer shimmy pra tentar provar que são mulheres desejáveis:
    Lid – lamber sabão, só se for o Dove, que tem quase 70% de leite e deve ser gostosinho. Agora, esqueça que ele não vai resolver seu problema, no caso de você ter uma aparência de quem vive eternamente lambendo limão.
    Samara – não concordo com nada do que você disse, a não ser com o fato de meu blog ser muito mal escrito. Alguém se predispôs a ler ele e interpretar pra você?
    Ana Cristina – você demorou tanto tempo para pensar em alguma resposta que considere inteligente, que eu nem vou te incomodar com alguma mensagem. Você poderia ficar uma semana raciocinando no que falar para mim e isso atrapalharia sua busca incessante por um macho alfa.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s