Há tempos queria escrever sobre isso, mas sempre postergava. Até que encontrei o vídeo abaixo no Youtube e o blog da realizadora do vídeo. Simplesmente tudo de bom.

Sabreena (ou Shanu) é indiana e mantém o interessante blog The Voice of the People. Ainda não revirei o blog todo, mas do pouco que vi, percebi que é uma menina muito esperta. Ela colocou esse vídeo como resposta a uma questão de uma leitora, que gostaria de saber que expressão deve-se usar na dança do ventre. Achei que ela chamou atenção para cinco pontos importantes a serem considerados ao se expressar facialmente a dança. Eu mesma nunca tinha chegado a racionalizar a coisa assim. Mas o mais bacana é desmistificar a máxima “sorrir sempre”. Também não acho que o sorriso cabe em todos os lugares.

Fiz uma tradução tosca do vídeo para ajudar as que não entendem bem o inglês. Sotaque indiano é de amargar, daí não reparem em alguns deslizes, ok? Em outro post, compartilharei minhas impressões sobre a expressão na dança do ventre.

Legenda tosca:

“Há dançarinas felizes; há dançarinas tristes; há dançarinas doces.

Então, qual exatamente é a expressão facial que você deve usar quando dança? Essa foi uma questão feita por Beledi e posto agora um vídeo-resposta. Ela me pergunta uma questão interessante: qual é a expressão facial que devo considerar em minha apresentação? Ok, gostaria de enumerar cinco coisas que você deve considerar:

– personalidade

– Tipo de música

– Letra

– Espaço de apresentação

– Sentimentos e emoções que você quer provocar em sua audiência.

Primeiro, você deve considerar sua personalidade. Você é muito séria? É jovial?

Em segundo lugar, você deve considerar a música. Que tipo de música você está dançando? Você vai fazer uma apresentação de tribal? É uma música turca? Esse tipo de coisa. Como isso é para você? Soa fascinante, soa sério? Ou soa como uma música alegre? Deve-se pensar nesse tipo de coisa.

Você também deve pensar nas letras das músicas. Uma vez assisti a um show e a letra era “la illaha ilallah”, que quer dizer “não há outro deus além de Allah”. E ela estava dançando dança do ventre com essa música. Parecia algo realmente fora do lugar. Se árabes estivessem assistindo, com certeza estariam rindo.

E há outra coisa que deve ser considerada: onde você vai se apresentar? (???)

E você deve considerar que sentimentos e emoções você quer provocar em seu público. Você deve ter controle de sua audiência, de seu palco. Você deve controlar o que você quer que eles sintam por você. Os movimentos de suas mãos: se vão para a cintura e você faz um shimmy, automaticamente sua audiência irá olhar para sua cintura. Você quer que sua audiência te veja como uma pessoa amigável? Que fique fascinada por você?

Todos dizem que você deve sorrir. Se você vir meus vídeos, perceberá que não sorrio. Acontece que você não tem que sorrir o tempo todo e fazer expressões divertidas. Sua expressão deveria vir do coração. Você não tem que planejar a dança. Há várias dançarinas que coreografam as expressões e esse é um erro enorme. Essas são as coisas que você deve considerar.

Nem TODA música exige que você SORRIA.

Por exemplo…

As expressões naturalmente moldam os sentimentos da audiência. Algumas dançarinas focam expressões em alguns movimentos, como o cambret. Se você sorri o tempo todo e faz o cambret, não haverá muito impacto. Mas se você está sorrindo e subitamente muda a expressão, você cria expectativa na audiência. Daí você fará o cambret e será uau! É esse tipo de impacto. Isso você deve levar em consideração, junto com os cinco tópicos.

Isso são as coisas que pensei. Pode não estar correto, porque não sou uma expert. Sou apenas uma dançarina que dança há muitos anos. É apenas o que pensei que talvez possa te ajudar.”